Botânica

Com 105 hectares de área, a Mata do Bussaco possui uma das melhores coleções dendrológicas da Europa, com cerca de 250 espécies de árvores e arbustos, alguns destes classificados como exemplares notáveis. É uma das matas nacionais mais ricas em termos de património natural, podendo ser dividida em três unidades de paisagem: Arboreto, Jardins, Vale dos Fetos e Floresta Relíquia.

A Mata Nacional do Bussaco providencia alimento, abrigo e refúgio para mais de centena e meia de espécies de vertebrados, algumas de grande valor conservacionista, como endemismos ibéricos ou espécies protegidas. A biodiversidade presente no Bussaco exprime a singularidade e o valor patrimonial deste espaço mágico e, por isso mesmo, é necessário zelar pela sua preservação.

Em 1628, quando os Carmelitas chegaram ao Bussaco, já ali existiam umas matas, propriedade de D. João Manuel, Bispo de Coimbra. Das árvores nativas, contam-se o loureiro, o aderno, o pilriteiro, o medronheiro, o azevinho, o zambujeiro ou o carvalho alvarinho. Admite-se a existência ainda do plátano bastardo, do zimbro, do freixo, do choupo branco, da faia, do sabugueiro e do cypres ou cupressus lusitanica.

Durante a sua passagem pelo Bussaco, os frades não só conservaram a vegetação nativa como enriqueceram, de forma significativa, o património botânico, nomeadamente com a introdução de muitas espécies exóticas. Um destaque para Frei João Batista, que introduziu inúmeras espécies no arboreto, e para Morais Soares, que introduziu novas árvores que aumentaram significativamente o valor dendrológico do espaço.

Algumas espécies existentes:
Gingko, teixo, pinheiro de S. Tomé, pinheiro do Paraná, araucária, cedro do Himalaias, cedro do Atlas, pinheiro (manso, silvestre, negro, larício, Japão, Canárias, insigne, Himalaia, Mississipi, pátula, taeda, aiacauite, preto mexicano, weymouth) sequoia, criptoméria do Japão, cipreste (comum, da Califórnia, do Bussaco, chorão, do Arizona, de Gowen, do Oregon) Calocedro, Biota da China, falsa tuia do Japão, tuia gigante, tuia da Argélia, Calitris, choupo do Canadá, nogueira preta, vidoeiro, amieiro, aveleira, faia, castanheiro, sobreiro, carvalho roble, carvalho negral, ulmeiro, lodão, maclura, grevília, tulipeiro da Virgínia, til, canforeira, liquidâmbar, pitosporo, plátano, azereiro, louro, acácia-Austrália, olaia, bordo da Noruega, buxo, azevinho, castanheiro da India, tília americana, jambeiro, eucalipto (comum, folhas de vimieiro, gigante, oblíquo, folha ficiforme) rododendro, freixo flor, freixo vermelho, aderno, paulónia, catalpa.



Notícias Relacionadas



Sessões de leitura na Mata do Buçaco
27 janeiro, 2015

Sessões de leitura na Mata do Buçaco

ApÓs o convite da Fundação a Drª Ana Cristina Tavares aceitou o desafio e no prÓximo dia 1 de fevereiro estará na Mata do Buçaco a ler o seu mais recente ...
Dia Nacional da Orientação juntou 50 participantes no Parque da Cidade
16 maio, 2012

Dia Nacional da Orientação juntou 50 ...

O Dia Nacional da Orientação foi assinalado, no passado domingo, dia 13, no Parque da Cidade da Mealhada e juntou mais de 50 participantes de todas as ...