Ir para o conteúdo principal

Mealhada debateu plano de acção para o desenvolvimento sustentável do município

20 junho, 2012

Mealhada debateu plano de acção para o desenvolvimento sustentável do município

O 2º workshop da Agenda 21 Local decorreu, no passado sábado, dia 16 de Junho, na Escola Profissional Vasconcellos Lebre. “Mealhada em Acção” foi o tema da sessão de trabalho que juntou cerca de 70 pessoas, entre responsáveis por associações locais, presidentes de Juntas de Freguesia, técnicos municipais e membros do Executivo. Uma iniciativa que pretendeu fomentar o debate sobre as acções a implementar no terreno, com o objectivo de qualificar o ambiente e promover o desenvolvimento sustentável do concelho da Mealhada.

A segunda sessão de trabalho sobre a Agenda 21 Local cumpriu os objectivos a que se propunha. A iniciativa começou com a apresentação do relatório final do Diagnóstico de Sustentabilidade do Município, pelo coordenador do projecto por parte do Instituto do Ambiente e Desenvolvimento (IDAD) da Universidade de Aveiro. Miguel Coutinho identificou o posicionamento actual do concelho perante os 10 compromissos da Carta de Alboorg, segundo um conjunto de indicadores de estado, como por exemplo o consumo de energia, a qualidade da água e a produção de resíduos, e recordou os presentes que as áreas identificadas para uma potencial intervenção foram o Turismo, a Coesão entre Freguesias, a Economia Local e a Reabilitação Urbana.

Tendo por base essas áreas de intervenção, foram criados os temas de Turismo, Reabilitação Urbana, Desenvolvimento Económico /Emprego, Agricultura e Apoio Social, que deram o mote à reflexão dos grupos de trabalho, que durante cerca de uma hora procuraram identificar as acções a desenvolver para qualificar o ambiente e promover o desenvolvimento sustentável do concelho. Uma forma de se conseguir, assim, cumprir os objectivos destes workshops, que são promovidos com o propósito de se “chegar a uma resposta colectiva” e a uma “construção partilhada”, explicou o responsável da IDAD, Miguel Coutinho.

Conclusões dos grupos de trabalho
Relativamente ao tema do Turismo, foi destacada a necessidade de se reforçar a imagem do concelho enquanto marca turística, tendo sido sugeridas diversas acções que vão desde a criação de logotipo e slogan a introduzir em material estacionário ao estabelecimento de um protocolo com as marcas detentoras de produtos produzidos no concelho para que nos seus rótulos passe a constar o endereço electrónico da página de internet do município, a qual deverá ser restruturada de forma a enfatizar a sua componente turística.

Foi também referido o desenvolvimento, e posterior divulgação junto dos operadores turísticos, de um roteiro turístico que dê a conhecer ao visitante os pontos distintivos do concelho (por exemplo, visita a uma quinta vitivinícola com prova de vinhos, visita à fábrica da água do luso, almoço em restaurante típico com visita ao assador, visita à Mata Nacional do Bussaco) e a criação de cartão de registo de visitas e/ou consumos em estabelecimentos do concelho que, após, preenchimento, desse direito a alguma compensação, como uma oferta ou um desconto.

A Reabilitação Urbana foi apontada como prioritária para a inversão do processo de despovoamento dos centros urbanos e da consequente degradação do património edificado, sendo proposta a criação de incentivos fiscais e a agilização dos processos de licenciamento para as obras de reabilitação. Relativamente ao Desenvolvimento Económico/Emprego foi sugerido o reforço da formação profissional especializada em áreas vitais que tenham o duplo contributo de potenciar o tecido empresarial concelhio e absorver recursos humanos especializados, contrariando o desemprego.

No que diz respeito à Agricultura, foi proposta a criação de um banco de terras (constituído por terrenos privados e municipais), contrariando o processo de abandono dos terrenos agrícolas. E, por último, no que diz respeito ao Apoio Social, foi proposta a criação de um banco de voluntariado (já se encontra criado), a recolha de roupa e posterior distribuição (também já existe na Loja Social do concelho) e ainda a organização entre entidades de forma a rentabilizar os transportes.

Foram ainda sugeridas a construção de uma ciclovia entre a Mealhada e o Luso, o funcionamento das instalações sanitárias no Parque da Cidade, a recolha de lixo aos fins-de-semana, a lavagem dos contentores de RSU e limpeza das vias.

Como principais obstáculos à implementação destas acções, apresentam-se as questões legais, muito em particular aquelas que dizem respeito à propriedade, as limitações orçamentais e ainda as dificuldades de conjugar diferentes interesses e disponibilidades dos vários agentes envolvidos.

(2012-06-19) - Press Release







Notícias Relacionadas



Ciclo BioInovação inspira-se na Natureza
10 setembro, 2019

Ciclo BioInovação inspira-se na Natureza

O Espaço Inovação Mealhada (EIM) vai promover o Ciclo de Eventos BioInovação, que incluiu palestras, workshops, exposições, passeios e visitas ...