Ir para o conteúdo principal

"O Fascismo existiu e o Neoliberalismo existe em Portugal!", assevera o historiador Reis Torgal

04 novembro, 2014

Luís Reis Torgal foi o convidado da segunda conferência do ciclo “Os 40 anos do 25 de Abril” que a Escola Profissional Vasconcellos Lebre, da Mealhada, está a levar a cabo em 2014 e 2015. Nesta segunda iniciativa, organizada pela Associação de Aposentados da Bairrada, tratou-se o tema “O Fascismo e o Neoliberalismo nunca existiram”, uma ironia do académico de Coimbra, que provou exactamente o contrário. A conferência realizou-se na tarde de 23 de outubro, perante uma plateia com cerca de cem jovens alunos e seniores da associação organizadora.

“Para um historiador, aquilo que é fácil, quase óbvio, deve ser normalmente descartado”, garantiu Luís Reis Torgal, professor catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e um dos maiores e mais respeitados especialistas na história do século XX e do Estado Novo português. “O Estado Novo português teve muitas semelhanças com o Fascismo italiano. O próprio Oliveira Salazar admitia a proximidade do sistema português com a ideologia italiana. Não restam dúvidas disso, está escrito e dito pelo próprio Salazar!”, afirmou Reis Torgal que sublinhou o facto de a caracterização da ditadura portuguesa como sendo ou não fascismo é muito mais académica do que prática.

Durante a parte final do debate, participantes de todas as idades sublinharam com perguntas e testemunhos pessoais a opinião apresentada pelo conferencista, especialmente no que toca às políticas de Educação, Justiça e Ocupação de tempos livres. Por outro lado, Reis Torgal, no mesmo sentido, caracterizou a ideologia do Liberalismo, do que se considera ser o Neoliberalismo, e justificou claramente o pensamento político e social em vigor como sendo, efectivamente neoliberal. “O culto do consumismo, em vigor, a procura de terceiras vias, a adesão às teorias da escola económica de Chicago, demonstram, claramente, que vivemos numa cultura neoliberal”, asseverou o professor catedrático.

“O ciclo de conferências na EPVL sobre o 40.º aniversário do 25 de abril vai continuar até abril de 2015, data do aniversário das primeiras eleições livres”, afirmou Nuno Castela Canilho, director-geral da EPVL. E a parceria entre a Escola Profissional e a Associação de Aposentados da Bairrada também, “nos próximos meses com uma conferência com o Bispo Dom Ximenes Belo (Nobel da Paz de 1996) sobre o Prémio Nobel da Paz de 2014 – Malala Yousafzai e Kailash Satyarthi”, segundo deu conta Nuno Silva Salgado, presidente da direcção da Associação de Aposentados, que acrescentou: “Os Nobel de 2014 são duas personalidades distinguidas pela luta do Direito à Educação, pelo que faz sentido falar delas numa escola”.

(2014-11-04) - Press Release







Notícias Relacionadas