Ir para o conteúdo principal

Mealhada debateu sexualidade e amor entre pessoas com deficiência

11 dezembro, 2014

Mealhada debateu sexualidade e amor entre pessoas com deficiência

A Câmara Municipal da Mealhada assinalou ontem o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência, com a dinamização de um fórum sobre a sexualidade e o amor entre pessoas com deficiência. “A Sexualidade na Diferença” foi o tema do debate, que decorreu de manhã na Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL) e que reuniu um leque de profissionais especializados nesta matéria. Já durante a tarde, teve lugar um espetáculo cultural no Cineteatro Municipal Messias, intitulado “O Amor não tem Limites”, que levou a palco utentes da APPACDM de Anadia, do Centro de Santo Amaro e de Coimbra. Esta iniciativa contou com a colaboração do Agrupamento de Escolas da Mealhada e da EPVL. A temática do amor e da sexualidade entre pessoas com deficiência foi o tema escolhido pela Câmara Municipal para assinalar o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência na Mealhada. Pelo segundo ano consecutivo, a autarquia dinamizou um fórum sobre a problemática e discutiu o tema “A Sexualidade na Diferença”, durante a manhã, na EPVL. O programa prosseguiu ainda durante a tarde, com um espetáculo intitulado “O Amor não tem limites”, que levou dezenas de utentes da APPACDM de Anadia e de Coimbra, bem como centenas de alunos do Agrupamento de Escolas da Mealhada ao Cineteatro Municipal Messias.

O dia começou cedo, no auditório da EPVL, com a abertura da sessão cerca das 9h30, contando com a presença do vice-presidente da Câmara da Mealhada, Guilherme Duarte, da vereadora da Ação Social, Arminda Martins e vereador José Calhoa, do Diretor do Agrupamento de Escolas da Mealhada, Fernando Trindade, do Diretor da EPVL, Nuno Canilho, e de um painel de oradores convidados que reuniu médicos, psiquiatras, psicólogos e técnicos, nomeadamente do técnico da CERCIAG, Pedro Galveias e das médicas da Maternidade Bissaya Barreto, Carla Rodrigues e Filipa Nunes. O psicólogo José Alfredo da Costa foi o moderador de um debate à volta do tema do amor e dos afetos entre pessoas com deficiência.

A visualização de um filme realizado pela APPACDM de Anadia, sobre as expetativas em relação ao amor e à sexualidade por parte dos utentes da instituição deu início ao fórum, servindo para demonstrar que os cidadãos portadores de deficiência têm as mesmas ambições e desejos em relação à vida amorosa, como qualquer outra pessoa. Seguiu-se uma apresentação realizada pelos vários oradores e, a finalizar o período da manhã, houve ainda tempo para um debate de ideias e um momento de interação dos oradores com o público presente, onde estes foram convidados a colocar algumas questões.

Ana Teresa Almeida e Elisa Lemos do Centro de Santo Amaro da APPACDM de Anadia, apresentaram um trabalho realizado por ambas intitulado “O amor é (im)possível…”, afirmando que o sexo entre deficientes ainda é um tema considerado “tabu” para a sociedade portuguesa e “bastante controverso”. Segundo estas profissionais, o direito ao casamento e à parentalidade são “indispensáveis” para a realização pessoal dos portadores de deficiência. No final, todos os palestrantes foram unânimes em considerar como essencial o abordar da questão da sexualidade nos portadores de deficiência, o mais cedo quanto possível, como forma de ultrapassar “barreiras culturais”.

“Acreditamos que é possível mudar mentalidades, que é possível através da consciencialização tornar a diferença igual no amor”, disse a vereadora da Ação Social da Câmara da Mealhada, Arminda Martins. A autarca considerou como “importante” a escolha do tema, por parte do Executivo Municipal, porque “na base da verdadeira inclusão está também a mobilização da sociedade na defesa de causas que consideramos como coletivas”. Na opinião da vereadora, “se cada um de nós fizer um pouco mais para ajudar, faremos, certamente, a diferença na deficiência”.

Durante a tarde as comemorações continuaram, mas de uma forma mais descontraída, com a realização de três momentos culturais no Cineteatro Municipal, num espetáculo intitulado “O Amor não tem Limites”. “é urgente o amor!”, por um grupo da APPACDM de Anadia – Centro de Santo Amaro, “Felismina Cartolina e João Papelão”, da APPACDM de Coimbra, e “Corpos com Ritmo”, da APPACDM de Anadia, preencheram a tarde, fazendo as delícias das centenas de crianças e adultos que lotaram a sala daquele espaço cultural mealhadense.

(2014-12-10) - Press Release







Notícias Relacionadas



Mealhada recebeu Bandeira Verde com Palma
28 novembro, 2019

Mealhada recebeu Bandeira Verde com Palma

O Município da Mealhada recebeu, ontem, a Bandeira Verde com Palma, consagrando-se Amigo das Famílias pelo sétimo ano consecutivo, numa distinção feita ...