Ir para o conteúdo principal

Jovens reduzem o risco de incêndios no concelho

20 julho, 2011

Jovens reduzem o risco de incêndios no concelho
A Câmara Municipal da Mealhada candidatou-se, mais um ano, ao Programa Voluntariado Jovem para as Florestas, promovido pelo Instituto Português da Juventude, com o projecto Mealhada Vigilante 2011. Assim, desde o passado dia 1 de Julho até ao prÓximo dia 30 de Setembro, o concelho conta com a colaboração de 24 jovens, que têm como principais funções vigiarem zonas de risco de incêndio e procederem a acções de sensibilização e prevenção junto dos munícipes.

O projecto que visa, sobretudo, estimular a participação dos jovens na preservação da Natureza e da Floresta conta, este ano, com a participação de 24 jovens. E são esses voluntários, com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, que vão a assumir a missão de reduzir o risco de incêndios no concelho, nomeadamente vigiando zonas de maior perigo como a Mata Nacional do Bussaco e a sua envolvente durante os meses de Julho, Agosto e Setembro.

Os jovens foram distribuídos por seis quinzenas, de forma a operarem quatro por quinzena, em turnos diários de cinco horas e meia. Detectar eventuais focos de incêndio, vigiar as áreas florestais, colaborar na limpeza das matas e na recolha de resíduos, realizar acções de prevenção junto da população e registar as ocorrências diárias e as necessidades de intervenção são as principais tarefas destes 24 voluntários, que este ano trabalham em articulação com a Fundação Mata do Bussaco, permitindo, assim, uma melhor gestão e rentabilização dos recursos.

Aos voluntários é garantida, pela entidade promotora, uma bolsa de 10 euros por dia, certificado de participação e seguro de acidentes pessoais. Por sua vez, a Câmara Municipal da Mealhada assegura o transporte dos voluntários, binÓculos, coletes reflectores, mapas e documentação para registo diário de ocorrências.

Os voluntários recebem ainda formação geral e específica sobre a temática, nomeadamente sobre os seus direitos e deveres, sobre a flora existente no local, sobre orientação, cartografia e progressão no terreno, sinais de alerta e comunicações, sobre situações que já se tenham verificado no passado e sobre o procedimento a ter em caso de incêndio.

(2011-07-20) - Press Release






Notícias Relacionadas