Ir para o conteúdo principal

Varela Pécurto assinou protocolo de doação de cerca de 800 imagens da Mealhada anteontem no Cine-Teatro

19 março, 2012

Varela Pécurto assinou protocolo de doação de cerca de 800 imagens da Mealhada anteontem no Cine-Teatro

O Cine-Teatro Messias foi palco, no passado sábado, dia 17, da sessão de abertura da exposição fotográfica de Varela Pécurto. Um ano após o fotógrafo ter oferecido à Câmara Municipal da Mealhada a sua colecção composta por cerca de 800 imagens referentes ao concelho, foi recebido pelo Presidente da autarquia, Carlos Cabral, para proceder à assinatura do protocolo de doação. Alguns trabalhos com a assinatura do autor vão estar patentes naquele espaço de cultura até ao próximo dia 17 de Abril.

A abrir a sessão, o Presidente da Câmara dirigiu-se a Varela Pécurto mostrando um profundo agradecimento pela sua “gentileza de restituir [à Mealhada] as imagens que o tempo roubou” e “fazer regressar à origem as paisagens do antigo município”. Carlos Cabral orgulhou-se por, actualmente, poder dizer que “estão no Arquivo Municipal as fotografias que registaram pessoas, momentos e paisagens do município da Mealhada e que vão perpetuar o nosso passado, mas sobretudo a pessoa que nos presenteia com o seu trabalho de muitos anos”. O autarca disse acreditar que o nome Eduardo Francisco Varela Pécurto “vai ficar ligado ao concelho da Mealhada e jamais será esquecido”, imortalizado nas suas fotografias. Assinado o protocolo, parte da obra de um dos fotógrafos mais emblemáticos de Coimbra e da região Centro vai ficar no município da Mealhada, no Arquivo Municipal “à disposição de todos, desta geração e das gerações vindouras”, afirmou o edil. Um espólio de cerca de 750 slides e algumas fotografias que Varela Pécurto realizou no concelho, entre 1970 e 1990. Trabalhos que podem mesmo, segundo Carlos Cabral, vir a ser publicados em livro.

Eduardo Francisco Varela Pécurto, nascido em 1925, reuniu ao longo da vida várias colecções fotográficas e conquistou diversos prémios quer em Portugal, quer no estrangeiro, bem com menções honrosas pela sua técnica e pela sua arte. O autor diversifica os seus trabalhos por considerar que “não há nada mais aborrecido do que um visitante entrar numa sala olhar para as fotografias e parecerem-lhe todas iguais”. Por esse mesmo motivo, as fotografias que estão expostas no Cine-Teatro – que, de acordo com o fotógrafo, “têm duas categorias” uma que engloba no “título de artísticas [que têm circulado por todo o mundo] e outras são puramente documentais” – encontram-se “misturadas para aligeirar o seu aspecto no sentido de não cansarem o observador”. Umas “feitas em tempos especiais”, outras “cheio de paciência, como a das gaivotas que nunca mais poisavam onde eu queria”, contou o Pécurto.

Quanto às fotografias que doou à Câmara da Mealhada documentam igrejas, paisagens, pessoas, festas e muito mais. “São tantas, tantas e deram tanto trabalho que há-de haver alguém que possa tirar proveito disto tudo”, disse. Assim, o que move Varela Pécurto a doar as fotografias é a esperança de que o seu trabalho de tantos anos tenha aproveitamento. No entanto, admite: “Fiz doações a Câmaras que nem muito obrigado me disseram!”, mostrando-se muito satisfeito com a forma como foi acolhido pela a autarquia da Mealhada.

Alguns dos seus trabalhos, de carácter artístico e documental, vão estar em exposição no Cine-Teatro Messias até ao próximo dia 17 de Abril, 39 fotografias intituladas: 1. “Pico do Pico na ilha do Pico”; 2. “S. Lourenço – ilha de Santa Maria”; 3. “Coliseu de Roma”; 4. “Kinderdijk – Holanda”; 5. “Entardecer no Rio de Janeiro”; 6. “Horas de Notívagos – Toronto”; 7. “Na bela Suíça”; 8. “Máscara funerária de Tutankhamon – Cairo” 9. “Pamukkale – Turquia”; 10. “Lago de Sal – Turquia”; 11. “Jungfrau no horizonte – Suíça”; 12. “Um raio na Torre da Universidade”; 13. “Pudera! o almoço está lá dentro”; 14. “Horta no centro de Nova York para cidadão ver ao natural”; 15. “ Casario”; 16. “Rural”; 17. “Regresso da Faina”; 18. “Geometria Memória”; 19. “Memória”; 20. “Promessa”; 21. “Eterno Fascínio”; 22. “Preparativos”; 23. “Soneca interrompida”; 24. “Fascinado”; 25. “Carícia” 26.”Na ronda do tempo”; 27. “Maturidade”; 28. “Contraste”; 29. “Mulher só”; 30. “Adolescentes”; 31. “Brincadeiras de gaivotas”; 32. “Tempos difíceis”; 33. “Emoldurado”; 34. “Em sossego”; 35. “Férias”; 36. “Rumo à tempestade”; 37. “Fim de semana”; 38. “Na ilha da Madeira”; 39. “Para mais tarde recordar”.

(2012-03-19) - Press Release







Notícias Relacionadas



FESTAME 2020 acontece de 6 a 14 de junho
14 outubro, 2019

FESTAME 2020 acontece de 6 a 14 de junho

A próxima edição da FESTAME – Feira do Município da Mealhada irá decorrer entre os dias 6 e 14 de junho de 2020. A data foi fixada em reunião da ...

Cabine de Leitura ao dispor da comunidade
19 setembro, 2019

Cabine de Leitura ao dispor da comunidade

A nova Cabine de Leitura do Jardim Municipal da Mealhada já está ao dispor da comunidade. Os livros passam a estar acessíveis a todos, sem restrições ...