Ir para o conteúdo principal

Câmara Municipal dá as boas vindas à comunidade educativa do concelho

13 setembro, 2013

Câmara Municipal dá as boas vindas à comunidade educativa do concelho

No início de mais um ano letivo, a Câmara Municipal da Mealhada recebeu ontem, no Cineteatro Municipal Messias, os agentes e parceiros educativos do concelho. Com a sala cheia, o presidente da Câmara não poupou críticas às políticas educativas do Governo e apelou aos professores para lutarem pela escola pública. “Vocês têm de defender a escola pública, que está a ser brutalmente atacada. A escola está a regredir e têm de ser os professores a imporem-se”, argumentou Carlos Cabral, naquele que foi o seu último discurso para a comunidade educativa enquanto presidente da Câmara Municipal da Mealhada.

“Professores, não se calem. Não deixem que vos pisem. Não deixem que vos lancem no desemprego, porque as crianças deste país precisam de vocês”, afirmou o presidente da Câmara, considerando “inadmissível” o aumento do número de alunos por turma decretado pelo Governo. “é inaceitável meter tão numeroso número de alunos na mesma turma. é inaceitável lançar tantos professores no desemprego”, prosseguiu Carlos Cabral, concluindo. “Vocês devem ir para a rua lutar, devem estar unidos. E se precisarem de alguém para estar no passeio a bater-vos palmas, digam-me, que eu vou”.

“Para mim é uma honra estar aqui entre mais de 200 funcionários públicos. Sempre fui funcionário público e tenho muito orgulho nisso. São aqueles que servem o Estado, que servem o país”, afirmou ainda o autarca, acrescentando que “os funcionários públicos estão a ser fortemente penalizados”. “O Governo diz-nos que vivemos acima das nossas possibilidades, mas foram eles que viveram acima das nossas possibilidades. Todos. Porque o que se passa no nosso país, não tem a ver com partidos políticos, tem a ver com gente, com pessoas que não conhecem a terra que pisam. São gente sem pátria, sem terra, sem país. Agora dizem que são pela liberdade de ensino. Pudera, mal seria se assim não fosse”, acrescentou ainda o autarca, defendendo que os professores e todos os funcionários públicos devem lutar pelos seus direitos.

Carlos Cabral aproveitou ainda para agradecer o “esforço, o rigor e a lealdade” com que os professores, agentes e parceiros educativos, sempre trataram a Câmara Municipal, e salientou que vai sair de consciência tranquila por tudo o que fez em prol da Educação no concelho. “é a última vez que aqui vou estar convosco como presidente. Tenho 34 anos de presença nesta Câmara, 14 como presidente de Câmara e acho que dei o meu melhor, dei o meu contributo para este município”, sublinhou, agradecendo ainda as “palavras elogiosas” que os três colegas de mesa – a vice-presidente da Câmara Municipal, Filomena Pinheiro, o diretor da Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL), João Pega, o presidente do Agrupamento de Escolas da Mealhada, Fernando Trindade – lhe deixaram nos seus discursos.

Executivo deixa concelho de referência na Educação
“Quero deixar aqui um obrigado muito sentido ao meu grande amigo e autarca deste concelho, professor Carlos Cabral, que está aqui pela última vez e que muito fez pela Educação neste concelho”, afirmou o diretor da EPVL, João Pega, sublinhando: “Hoje, o concelho da Mealhada é referenciado como exemplar ao nível da Educação”. Fernando Trindade deixou também “um enorme agradecimento”. “Agradeço ao presidente da Câmara e à sua equipa, à vice-presidente Filomena Pinheiro, ao Luís Simões e à Susana Oliveira, pela colaboração que sempre nos deram para resolver os problemas”. “é um enorme orgulho ser ensino público no concelho da Mealhada”, afirmou ainda o presidente do agrupamento de escolas.

Também a vice-presidente da Câmara deixou os seus agradecimentos ao presidente, por tudo o que com ele aprendeu e pela “carta verde” que lhe deu na Educação. E deixou ainda um obrigada aos vereadores, aos funcionários, aos professores e ao serviço de Educação da autarquia. Num discurso emocionado, Filomena Pinheiro lembrou a Educação no concelho quando chegou à vereação e a sua evolução durante estes 14 anos, ditada não só pelas políticas da câmara, mas também pela força de vontade da comunidade educativa do concelho. “Fizemos a diferença”, afirmou.

“Quando cheguei às escolas, fiquei assustada. Eram piores do que as que eu frequentei anos antes. Estavam degradadas, sem equipamentos, sem recursos. Com muitos alunos e professores motivados, mas sem condições. Durante estes anos, requalificámos os equipamentos escolares e a Educação passou a ser o símbolo do nosso investimento: todos os equipamentos que construímos, colocámos ao serviço da Educação, das crianças e dos jovens”, sublinhou a vice-presidente e responsável pelo pelouro, Filomena Pinheiro.

“Orgulhamo-nos da nossa política educativa. Fomos dos primeiros a levar as novas tecnologias para as escolas, dos primeiros a ter Atividades de Enriquecimento Curricular, a ter Educação Ambiental e Cidadania, a conseguir que os pais fossem mais interventivos, mais exigentes. Grande parte do nosso orçamento foi destinado à Educação, direta ou indiretamente, e hoje temos um concelho mais estruturado, mais desenvolvido, mais consciente. Temos mais e melhores equipamentos. Espero, sinceramente, que esta filosofia seja seguida por aqueles que nos vão suceder. Porque tudo já está construído, agora é investir no imaterial”, concluiu.

(2013-09-13) - Press Release







Notícias Relacionadas



Meajazz junta teatro e cinema à música
21 julho, 2021

Meajazz junta teatro e cinema à música

A 4ª edição do Meajazz – Festival de Jazz da Mealhada, que se realiza dias 3 e 4 de setembro, no Cineteatro Messias, na Mealhada, vai alargar a ...