Ir para o conteúdo principal

Felicidade no seio escolar debatida no 6° Encontro com a Educação

22 abril, 2015

Felicidade no seio escolar debatida no 6° Encontro com a Educação

"Ser feliz na escola" foi o tema que esteve em debate na sexta edição do Encontro com a Educação, que decorreu no sábado, dia 18 de abril, no Cineteatro Municipal Messias e contou com mais de centena e meia de participantes. Um fórum composto por um conceituado painel de oradores, com a conferência de abertura entregue ao presidente do Conselho Nacional de Educação, David Justino, e a manhã pautada pelo discurso apelativo da docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Manuela Grazina. Antes de se iniciar os trabalhos, o presidente da Câmara, Rui Marqueiro, levantou a questão da delegação de competências e desafiou a comunidade educativa a debater a temática. "Será que há vantagens em municipalizar parte do Ensino?", questionou, acrescentando: "Gostaria de convidá-los a discutir o assunto".

"Estou aqui para fazer um desafio à comunidade escolar. O Governo fez-nos um desafio, fez uma lei que fala de delegação de competências nos municípios em matéria de Educação. O Município da Mealhada foi um dos que aceitou a transferência de competências desde sempre. Foi assim com os transportes escolares, com o pessoal não docente. E é preciso saber se há vantagens ou não em municipalizar parte do Ensino", afirmou o presidente da Câmara, Rui Marqueiro, desafiando os presentes: "E é por isso que gostaria de convidar-vos para discutirmos este tema e pensarmos se valerá a pena fazê-lo. Se valer a pena, muito bem, se não valer a pena dizemos que não queremos, mas bem fundamentado, como deve ser". "É este o desafio que vos deixo, convido todos e faço uma promessa de estar presente em todas as reuniões", concluiu o autarca.

Antes do discurso do presidente da Câmara, o fórum foi iniciado pelo vice-presidente da Câmara e responsável pelo pelouro da Educação, Guilherme Duarte. "Nós queremos crianças diferentes umas das outras, com diversos potenciais, crianças criativas, capazes de "saírem da caixa" e surpreenderem o mundo", disse o vice-presidente da Câmara durante a abertura da iniciativa. "Que o dia de hoje sirva para que todos possamos trocar as nossas ideias, os nossos conhecimentos, as nossas aprendizagens, em prol dessa missão tão importante que é termos crianças felizes na escola que é garantir o seu sucesso escolar, que é tirar o melhor partido daqueles que vão ser o nosso futuro!", referiu, ainda, o responsável pela Educação da autarquia.

Os trabalhos começaram com a conferência de abertura protagonizada pelo presidente do Conselho Nacional de Educação. David Justino começou por elogiar a escolha do tema, classificando-o como um assunto sério e "preocupante". "A Escola serve de capacitação no sentido de nos ajudar a resolver os problemas com que somos confrontados e que vamos encontrar no futuro", argumentou o dirigente, considerando ainda que "não é possível todos os alunos serem felizes". "O papel da escola é ensinar a aprender a ser feliz, nem que para isso tenhamos que passar por alguma infelicidade", frisou.

David Justino realçou ainda o facto da escola de hoje ter de estar atenta às diferenças (sobretudo étnicas), o que faz com que o trabalho dos professores seja mais "exigente do que antigamente". "A felicidade de um aluno também é a felicidade do professor", argumentou. "Será que a escola não está a formar cordeiros para uma sociedade de lobos? Será que devo formar o aluno para uma concepção daquilo que eu penso como ideal, ou devo formar para a realidade?", questionou, por fim, o presidente do Conselho Nacional de Educação, respondendo: "Eu penso que sim, infelizmente temos de criar lobos. A exigência desta sociedade assim obriga!".

Seguiu-se a intervenção do diretor geral dos Estabelecimentos Escolares, José Alberto Duarte, que referiu que nem sempre os alunos com melhor índice de aproveitamento são necessariamente os mais felizes. No entanto, deixou uma certeza. "Um fator fundamental é a motivação dos alunos e é natural que sejam mais felizes os mais motivados", argumentou José Alberto Duarte, concluindo: "A felicidade constrói-se ao longo da vida e é importante ter a perceção do fracasso".

Uma das convidadas mais aplaudidas pelo público foi a docente e investigadora do Laboratório de Bioquímica Genética da Universidade de Coimbra, Manuela Grazina. De uma forma eloquente e dinâmica, abordou temas complexos como a atividade e funcionamento do cérebro. Segundo a bioquímica, "o professor é um modelador do cérebro e, neste sentido, esta é a profissão mais importante do mundo. Quando os alunos vão à escola, o que estão a fazer é transmitir e rececionar mensagens. A educação é fundamental para criar a possibilidade de tomar decisões. Deve-se estimular e elogiar os bons comportamentos e treinar a via da recompensa", defendeu a docente.

Ainda, segundo Manuela Grazina, se treinarmos desde cedo a via da recompensa e a memorização do estímulo "sobrevivemos melhor e somos mais felizes". Centrando a sua apresentação no funcionamento do cérebro e na via da recompensa como base do funcionamento humano, a investigadora terminou dizendo que "a felicidade pode ser treinada e mora no cérebro. Ela é uma escolha pois o cérebro é um órgão plástico e deve ser treinado desde cedo".

Na opinião de Fernando Trindade, diretor do Agrupamento de Escolas da Mealhada, "num dia só não se resolve a questão". Segundo o dirigente, o conceito de felicidade deve ser visto à luz de uma dimensão mais realista, considerando-o "complexo e pouco confortável". "Não sei se estou tão feliz como isso", começou por dizer, para mais adiante revelar "que o conceito de felicidade e o que ele envolve é muito melindroso, mas com isto não quer dizer que não deva ser questionado". E, concluiu, ressalvando a necessidade de se aferir sobre a consciência da criança acerca da felicidade.

Fechando os trabalhos da manhã, Nuno Canilho, diretor da Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL), começou por elogiar o novo modelo do Encontro com a Educação, que desde o ano passado apostou por dedicar as tardes à componente prática, com a realização de workshops gratuitos sobre a temática do fórum. Quanto ao assunto em debate, Nuno Canilho, referiu-se à confusão que em regra se estabelece entre felicidade e bom ambiente, lembrando que "ser feliz é muito mais do que isso". "Este é um tema que nos obriga a refletir, que nos obriga a repensar a prioridades", disse o diretor, elogiando a escolha da temática.

Durante a tarde e após um almoço servido na EPVL, o fórum continuou com a realização de workshops sobre o tema central do encontro. Ser Feliz na Diferença, da APPACDM - Centro de Santo Amaro; Coaching em Educação, por Mafalda Branco, da Encontros com o Ser; Relaxamento e Gestão do Pensamento, por Miguel Valente, da Auchter; Ser Feliz na Escola: Leitura de Sinais, por Paula Andrade, da CPCJ da Mealhada; Ioga do Riso por Nuno Filipe, da Encontros com o Ser; Livros + Criatividade = Alunos Felizes por Gisela Ferreira e Vera Martins, da Biblioteca Municipal da Mealhada e A Ciência ao Encontro da Escola à conversa... com Manuela Grazina, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, fecharam a edição deste ano do Encontro com a Educação.

O evento foi organizado pela Câmara Municipal da Mealhada, em parceria com o Agrupamento de Escolas da Mealhada e a Escola Profissional Vasconcellos Lebre.  

(2015-04-22) - Press Release







Notícias Relacionadas



"Domingos no Parque" convida população a vir para a rua praticar atividade física
09 novembro, 2021

"Domingos no Parque" convida população a

A Câmara Municipal da Mealhada vai dar início, no próximo domingo, ao "Domingos no Parque, uma iniciativa que visa promover a prática de atividade ...