Ir para o conteúdo principal

Ruy de Carvalho, Carlos Cunha, Marina Mota e Mafalda Arnauth atuam no Cineteatro Messias

14 janeiro, 2022

Ruy de Carvalho, Carlos Cunha, Marina Mota e Mafalda Arnauth atuam no Cineteatro Messias

O primeiro semestre de 2022 promete trazer à Mealhada espetáculos de excelência para todos os gostos e para todas as idades. Pelo Cineteatro Messias, na Mealhada, irão passar 25 espetáculos, desde peças de teatro e concertos a stand-up comedy, poesia e magia. A apresentação pública do programa decorreu, esta manhã, no Cineteatro Messias.

António Calvário, Mafalda Arnauth e Rodrigo Guedes de Carvalho são as grandes novidades na área da música. "António Calvário – Uma Vida de Canções", espetáculo musical de representação das suas histórias de vida e de carreira, terá lugar no dia 12 de março e inclui no elenco, com lugar central, o próprio cantor. Em maio, dia 7, é a vez da fadista Mafalda Arnauth, com a sua voz doce e poética, brindar o público com aprazíveis sonoridades e graciosas interpretações. Uma semana depois, dia 14 de maio, o jornalista e escritor Rodrigo Guedes de Carvalho apresenta o seu mais recente projeto "Ruge", um espetáculo de poesia e música, que fala sobre amor, paixão e revolta.

É precisamente com música que arranca a programação do primeiro semestre de 2022, com o grupo Cordis, composto por Paulo Figueiredo (piano) e Bruno Costa (guitarra portuguesa), a apresentar o seu novo trabalho, "Reflexo", a 28 de janeiro. Segue-se, em fevereiro, dia 19, o guitarrista João Fuss, num concerto a solo em que irá interpretar obras do seu último álbum "Best of Chopin for Classical Guitar" e obras do seu álbum a solo "Sossego", lançado em 2019.

A 19 de março sobe ao palco do Cineteatro Messias Invisible Rain, a melhor banda portuguesa de tributo a Genesis e Peter Gabriel, com um espetáculo com os temas mais carismáticos da banda e do artista.

Em abril, há ainda dois espetáculos de música: no dia 2, um concerto com o pianista português Gerardo Rodrigues e, na véspera do 25 de abril, ouvir-se-ão as sonoridades de jazz trazidas pelo Quarteto Instrumental Solaris, que combina o seu repertório com autores portugueses como Zeca Afonso ou Sérgio Godinho.

Para celebrar o Dia do Município contamos, a 25 de maio, com a grandeza da Orquestra Clássica do Centro, que interpretará alguns dos maiores compositores de todos os tempos, sob a batuta do maestro Sergio Alapont e com a participação da soprano Regina Freire.


Teatro: da comédia ao musical infantil

No que se refere ao teatro, Carlos Cunha encabeça o elenco que traz "Ai a minha filha" ao Cineteatro Messias, dia 5 de fevereiro. A animação está garantida com este espetáculo que conta, ainda, com a filha Érika Mota, com Miguel Ribeiro, Lígia Ferreira e Carla Janeiro. Ainda neste mês, no dia 25, Ruy de Carvalho, o mais emblemático e mais idoso ator português no ativo, com 94 anos e 78 de carreira, subirá ao palco do Cineteatro Messias com a peça de teatro "A Ratoeira", numa das mais incríveis histórias de Agatha Christie – "The Mousetrap" - que está registada no Guiness Book of Records como a peça em cena há mais tempo.

No dia 5 de março, Marina Mota apresenta a comédia "E tudo o morto levou", uma peça em que a atriz dá vida a várias personagens, algumas das quais míticas, como o irreverente Bisnaga ou os Usbatnavó, num espetáculo que promete pôr o público a rir do princípio ao fim.

No mês seguinte (abril), o Cineteatro recebe outra grande produção: "Ding Dong", uma hilariante comédia que aborda temas como o casamento, a mentira e a traição, com a participação dos atores Melânia Gomes, Núria Madruga, Andreia Dinis, Sofia Baessa, António Machado e Jorge Kapinha.

O público infantil e juvenil também vai poder contar com vários musicais e peças de teatro, como "Hansel e Gretel e o Velho Carvalho", no dia 27 de fevereiro, "O Lago da Aventura", a 26 de março, "O Capuchinho Vermelho", no dia 9 de abril, "Tanixudedos", a 30 de abril, "O cavaleiro em terras de Oriana", a 15 de maio, e "Os piratas também se apaixonam", no dia 4 de junho.

 

Nuno Markl, José Pedro Vasconcelos e Tiago Castro

Neste semestre há espaço também para outros formatos, como o stand-up comedy e o talk show.

A 16 de fevereiro, o Cineteatro Messias será palco de gravações do talk-show da RTP1 "Depois vai-se a ver e nada", com José Pedro Vasconcelos, que está de regresso para uma terceira temporada em versão itinerante. Serão produzidos dois programas na Mealhada, possibilitando ao público local "entrar nos bastidores" da produção televisiva (entrada gratuita). 

Num registo cómico e descontraído, Tiago Castro, ator e humorista que ficou conhecido como "Crómio" nos "Morangos com Açúcar", a série que marcou uma geração, apresenta o stand-up motivacional "Daqui de Baixo – Encontra na falha o caminho para o sucesso", no qual prova que é possível encontrar, nas falhas, uma oportunidade para alcançarmos os nossos objetivos. Este espetáculo, um sucesso de bilheteira, terá lugar no dia 13 de março.

A 29 de maio é a vez de entrar em cena o inenarrável comediante e animador de rádio Nuno Markl, com o novo espetáculo de stand-up comedy "Como ser um saco de pancada deprimente e vencer na vida". São duas horas de storytelling que prometem divertir (e fazer pensar) o público.


Palco aberto às produções locais

A programação deste semestre será, também, enriquecida com artistas do Município. O primeiro espetáculo ocorrerá no dia 27 março, Dia Mundial do Teatro, com a peça "Um Dia (in)Comum", que envolve as companhias de teatro do concelho Aguarela de Memórias, Caixa de Palco, Grupo Cénico de Santa Cristina e Oficina de Teatro do Cértima. Depois, em maio, haverá mais dois espetáculos: "Lateral", de André Lopes, mágico natural do concelho, dia 21, e "O Inspetor Geral", dia 28, peça da companhia de teatro pampilhosense Aguarela de Memórias.

"Iremos dar oportunidade às associações locais, ligadas à área cultural, de forma a terem palco e mostrarem as suas atividades. O Cineteatro Messias deve ser um espaço onde também as associações e artistas locais possam mostrar o que fazem", revelou o presidente da Câmara Municipal da Mealhada, António Jorge Franco.

"A programação foi pensada para garantir que os espetáculos são acessíveis à comunidade, com bilhetes gratuitos ou a preço acessível. "Queremos ainda contar com o envolvimento da comunidade, não apenas como espetadores, mas também como atores culturais. A última linha da programação é a sustentabilidade, gerindo bens públicos, que são escassos, de uma forma equilibrada", complementou Gil Ferreira, vereador da Cultura da Câmara Municipal da Mealhada.

 

Programação diversificada

A programação, segundo explicou Gil Ferreira, assenta em cinco linhas, nomeadamente a diversidade, com várias artes em palco, para vários públicos; e a dimensão cosmopolita. "É nossa intenção trazer à Mealhada muito do que há nas grandes cidades", referiu.

"Temos, com esta programação, três objetivos: queremos que o Cineteatro Messias se afirme como um dos espaços culturais de referência da Região Centro, com uma programação coerente, consistente e multifacetada, mas sempre de elevadíssima qualidade. Pretendemos, igualmente, que seja um espaço de fruição cultural e artística acessível, tanto para os munícipes como para quem nos visita. O terceiro objetivo passa pela abertura, e pelo estímulo, às produções dos artistas municipais, seja através de espetáculos, seja com exposições ou outros eventos", referiu António Jorge Franco, presidente da Câmara Municipal da Mealhada.

"Queremos que o Cineteatro Messias seja um verdadeiro polo dinamizador da cultura no Município e na região. Apresentamos 25 espetáculos, em seis meses, do mais diverso tipo e conteúdo, e com variadíssimos preços, que vão do gratuito aos 25 euros. Acreditamos ter uma programação de tal forma transversal, que garante espetáculos quer para o público de música clássica, de fado ou de rock, de poesia ou de jazz, quer para o público de teatro de revista ou de stand-up comedy. E, não menos importante, para o público infantil e juvenil. Com esta programação consideramos que a Mealhada em nada fica a dever, em termos de oferta cultural, ao que de melhor há no nosso país," destacou Gil Ferreira, vereador da Cultura da Câmara Municipal da Mealhada.    

Press - Ficheiro PDF Press Release - 14 janeiro 2022






Notícias Relacionadas