Ir para o conteúdo principal

Prémios literários e prémio de historiografia local têm novo período para entrega de trabalhos

29 setembro, 2022

Prémios literários e prémio de historiografia local têm novo período para entrega de trabalhos

Os prémios literários que homenageiam os mealhadenses António Costa Simões e Maria da Nóbrega têm novo prazo de candidaturas, até 31 de dezembro deste ano de do próximo, respetivamente.  Os trabalhos que concorrem ao Prémio para a Historiografia Local Adelino Melo podem ser entregues até dia 30 de junho de 2023.

O Prémio Literário António Augusto Costa Simões, na modalidade de romance, pretende homenagear o mais notável mealhadense. O prémio será bienal, sendo privilegiadas as temáticas diretamente relacionadas com o concelho da Mealhada. A entrega dos originais deve ocorrer até dia 31 de dezembro de 2022. A deliberação do júri será até 31 de março de 2023 e os resultados deverão ser conhecidos durante o mês de abril de 2023.

António Augusto Costa Simões nasceu em 1819 na Vacariça. Foi doutorado em Medicina pela Universidade de Coimbra, tendo, para além das funções de Professor, assumido a responsabilidade de Reitor da Universidade de Coimbra de (27.9.1892 a 17.2.1898). Conseguiu um donativo para a construção dos Paços do Concelho e do Hospital da Mealhada. Foi presidente da Câmara Municipal de Coimbra em 1856-1857. Deve-se-lhe o início da exploração das águas minerais de Luso e a criação das respetivas termas, e foi fundador da Sociedade Literária de Coimbra.

O Prémio Literário Maria da Nóbrega será também bienal, mas destinado a obras na modalidade de conto. Para a edição de 2024, a temática das obras a concurso é a Mata do Bussaco, património natural do concelho da Mealhada. Os originais podem ser entregues até 31 de dezembro de 2023. A deliberação do júri será até 31 de março de 2024 e os resultados deverão ser conhecidos durante o mês de abril de 2024.

Maria da Nóbrega foi uma das mulheres mais progressistas do início do século XX. Nascida em 1875, na Mealhada, numa família abastada, dominava com segurança a arte de bem escrever português, possuindo uma formação cultural alicerçada nos clássicos. Iniciou a sua carreira literária no Jornal O Bussaco, em 1902. Em 1925, com as escritoras Ana de Castro Osório e Sara Beirão, passou a escrever nas revistas Eva, Modas & Bordados, Voga e Magazine Bertrand. E em 1930 publica o seu primeiro livro de contos "Fumo nos Casais".

O Prémio para a Historiografia Local Adelino Melo, também bienal, pretende incentivar a investigação historiográfica local e contribuir para a valorização e promoção do património cultural e identitário. São aceites a concurso obras de natureza historiográfica, em formato de monografia – podendo ir desde o opúsculo à monografia mais extensa – sobre temáticas relacionadas diretamente com o território do concelho da Mealhada e com a região envolvente. A entrega dos originais pode ser feita até 30 de junho de 2023, deliberando o júri até 31 de outubro de 2023, sendo o resultado divulgado em novembro de 2023.

Adelino Melo foi um dos pioneiros e mais diligentes investigadores locais, com grande preocupação de registar e divulgar todos os seus estudos, nomeadamente através da imprensa local, de que foi grande impulsionador. Nascido em 1879, na Vacariça, Adelino Melo foi comerciante. Apesar da parca formação académica, foi também jornalista, fundador dos primeiros e mais antigos periódicos da região.  Acima de tudo, Adelino Melo foi um apaixonado pela historiografia do território do concelho da Mealhada.

Os três prémios foram criados em setembro de 2021 pela Câmara Municipal da Mealhada, mas, para a sua implementação, foi necessário um trabalho de melhoria do regulamento e de definição de aspetos de ordem procedimental. As candidaturas que já haviam sido entregues serão devidamente consideradas, mas os autores também poderão apresentar novas versões dentro dos novos prazos.

Press - Ficheiro PDF Press Release - 29 setembro 2022






Notícias Relacionadas