A Mata

O lado verde da vida tem na Mata Nacional do Bussaco um dos seus mais fascinantes recantos.

A Floresta do Bussaco é um bosque espesso, muitas vezes secular, onde as árvores têm porte gigantesco e são ricas em essências, perfumes e fulgor. Cedros, abetos, sequóias, tílias, ulmeiros, loureiros, faias, rodoendros, fetos gigantes, acácias e freixos, provenientes da América, da Austrália, dos Himalaias ou de tantos outros locais do Mundo, plantadas e cuidadas por gerações de monges Carmelitas Descalços que viveram, em clausura e contemplação por mais de 200 anos, entre 1630 e 1834, neste magnífico altar da Natureza, sagrado e protegido por bula do Papa Urbano VIII de 1634.

Pela floresta, ao correr dos caminhos, há uma transparência de luz e frescura de sabor místico quase divino, há ermidas que evocam os Passos da Via Sacra, capelas votivas, alguns tugúrios, outrora refúgios dos frades em meditação, pequenos lagos e muitas fontes.

Há essa maravilha que se chama o Vale dos Fetos e aquele sítio idílico que é a Fonte Fria, ou no cimo da colina sagrada, o miradouro da Cruz Alta, com admirável panorama da floresta a guardar no seu coração o Convento das Carmelitas e o sumptuoso Palace Hotel do Bussaco, outrora residência de reis e que nos nossos dias recebe Homens de Estado e quem, na busca da tranquilidade, tem o gosto de se acolher num dos mais belos hotéis românticos da velha Europa.



Notícias Relacionadas



Executivo aprova 65 mil euros de apoios
06 março, 2020

Executivo aprova 65 mil euros de apoios

A Câmara da Mealhada deliberou, na última reunião de Executivo Municipal, atribuir 65.765,38 euros  de apoios a diversas instituições.

O ...