Ir para o conteúdo principal

19 de janeiro - 2 anos depois do ciclone GONG

16 janeiro, 2015

19 de janeiro - 2 anos depois do ciclone GONG

A Fundação Mata do Buçaco irá assinalar os dois anos do ciclone GONG no próximo dia 19 de janeiro, com a inauguração da ponte localizada no Vale dos Abetos e uma visita guiada aos locais mais afetados pelo temporal, realizando-se algumas plantações simbólicas de espécies autóctones nesses locais.

Passados dois anos do ciclone GONG, a Fundação irá assinalar a data e irá contar com a presença do Sr. Presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Dr. Rui Marqueiro. O início será marcado pela inauguração de uma ponte recentemente construída através de um cedro-do-buçaco tombado (resultado do ciclone de 2013), que permanece até hoje no mesmo local, facilitando a passagem de uma margem para a outra da ribeira localizada no Vale dos Abetos. O reaproveitamento de recursos e a visão de novas oportunidades que surgiram com o ciclone tem sido uma constante pela Fundação.

Recorde-se que o ciclone GONG devastou cerca de 40 % da Mata, derrubando 10 árvores notáveis e afetando severamente 6 das 86 presentes até então. De entre as 4 unidades de paisagem presentes na Mata, verificou-se que o Arboreto e a transição deste para o Pinhal do Marquês, foram as áreas significativamente mais afetados. Este facto pode ser justificado pela marcante presença de espécies exóticas não invasoras no Arboreto, que não sendo nativas não estão tão bem adaptadas ao clima nacional, sobretudo a fenómenos climatológicos extremos, ou seja, não são tão resilientes quanto as nativas. O património edificado da Mata também sofreu danos com este ciclone: a cobertura do Convento de Sta. Cruz do Buçaco, a cobertura das garagens do Palace Hotel e algumas capelas e ermidas da Via-Sacra foram severamente afetadas.

No ano de 2014 a Mata voltou a ser alvo de uma tempestade, desta vez menos destruidora, a Stéphanie, a 6 de fevereiro. Neste ano os estragos foram menores afetando sobretudo a Fonte do Carregal, a entrada junto ao Serpa e vários caminhos. Desde então têm sido desenvolvidos esforços no sentido da desobstrução de caminhos, da limpeza de espaços, da reflorestação de áreas devastadas e reabilitação dos pontos de maior interesse.

Nasceram ainda novos projetos e oportunidades que surgiram com a passagem do ciclone: Valorização do material lenhoso, através da venda de madeiras e conceção de mobiliário urbano, através do projeto em parceria com a empresa LARUS; a criação do Bussaco Digital: uma plataforma online que permite plantar digitalmente e contribuir para a reflorestação da mata; a aproximação da população em ações de voluntariado e o envolvimento solidário de algumas empresas.

No próximo dia 19 de janeiro para além da inauguração da ponte no Vale do Abetos, será realizada uma visita guiada por técnicos especializados aos locais mais afetados pelo ciclone GONG com plantações simbólicas de espécies autóctones nesses locais.

Com esta visita pretende-se dar a conhecer a evolução existente em alguns dos espaços anteriormente devastados, mostrando ainda as áreas em que a necessidade de intervenção e reabilitação continua a verificar-se, devido aos escassos meios de que a Fundação Mata do Buçaco dispõe para a sua limpeza e recuperação.

Neste dia ainda haverá espaço para um voluntariado solidário, a reverter a favor da Junta de freguesia do Luso e do Centro Social Melo Pimenta, na recolha de lenha para as famílias carenciadas da freguesia do Luso.

Programa:
14h30 - Inauguração da Ponte no Vale dos Abetos
15h30-16h30 - Visita guiada pelos locais mais afetados

14h30 - Voluntariado Solidário

Inscrições: geral@fmb.pt | 231 937 000

*A Mata do Buçaco divide-se em quatro unidades de paisagem: Pinhal do Marquês, Arboreto, Jardins e Vale dos Fetos e Floresta Relíquia.

(2015-01-16) - Press Release







Notícias Relacionadas